Falta de atenção e ultrapassagens indevidas causaram maioria dos acidentes com mortes nas BRs

Cadastrado em 30/08/2017

A principal causa de acidentes com mortes nas rodovias federais do Estado nos últimos dez anos foi a falta de atenção dos motoristas. A conclusão consta no Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, feito com base em dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF). De acordo com o estudo, este fator foi responsável por 12.251 acidentes, dos quais resultaram 513 óbitos e 2.134 pessoas em estado grave, entre 2007 e 2016.

Conforme o estudo a segunda causa de mortes nas rodovias federais de Mato Grosso foi ultrapassagem indevida, que resultou em 2.113 acidentes e 343 óbitos. Aparecem como maiores causas de mortes ainda "excesso de velocidade", com 2.151 ocorrências e 213 óbitos; "dormir ao volante", com 1.142 acidentes e 109 mortes; "ingestão de álcool", com 1.298 acidentes e 86 mortes; e "desobediência à sinalização", com 1.027 acidentes e 75 óbitos.

Outros fatores como defeitos mecânicos (70 mortes), defeitos na via (62), animais na pista (36) e não guardar distância de segurança (34) também são apontados como causadores de acidentes graves nas rodovias federais mato-grossenses na última década. Foram causados ainda 9.028 acidentes com 875 mortes por motivos diferentes dos citados.

Conforme Só Notícias já informou, caiu em 25,45% o número de acidentes e mortes em rodovias federais em Mato Grosso no último ano, em comparação ao ano anterior. De acordo com o Atlas, foram registradas 220 mortes em 3.216 acidentes no Estado. Em 2015, foram 3.749 acidentes e 295 mortes.

Em comparação ao ano anterior, também houve diminuição no número de envolvidos e feridos. Conforme o relatório, em 2015, 8.218 pessoas se envolveram em acidentes, das quais 4.978 escaparam ilesas, 2.069 tiveram ferimentos leves e 638 ficaram gravemente feridas.

No ano passado, em contrapartida, 7.116 pessoas se envolveram nos acidentes, queda de 13,4% para o ano anterior. Destas, 4.236 escaparam ilesas (-14,9%), 1.860 tiveram ferimentos leves (-10%) e 526 tiveram ferimentos graves (-17,5%).

O estudo concluiu ainda que a BR-364 foi a mais letal no ano passado. Na rodovia, foram registrados 1.250 acidentes e 91 mortes (queda de 11,6% no número de óbitos para o ano anterior). A BR-163 aparece em seguida, com 949 acidentes. A rodovia ainda registrou 98 mortes (redução de 9,2%).

A BR-070 teve 682 acidentes e 57 mortes (-3,3%). A 174 teve 241 acidentes e 16 mortes (mesmo número de óbitos do ano anterior). A única que registrou crescimento no número de mortes foi a BR-158. Segundo o estudo, a rodovia federal registrou, no ano passado, 139 acidentes, dos quais resultaram 12 mortes, cerca de 33% a mais que 2015.

No Brasil, o número de mortes nas rodovias federais teve uma pequena queda entre 2015 e 2016. A taxa de letalidade caiu de 18,8 mortes/dia em 2015 para 17,5 mortes/dia em 2016. No ano passado, as estradas federais registraram 6.398 mortes e 21.420 feridos graves em 96.358 acidentes, que envolveram 216.249 pessoas.

 

Fonte: Só Notícias

Área do Distribuidor
Logo Noma

telefones Anfir

Copyright - 2011 - Desenvolvido por InovaClick